Para se fazer um Overclock, é necessário saber que existem vantagens e desvantagens.

Overclock

Para se fazer um Overclock, é necessário saber que existem vantagens e desvantagens, e que fazendo de forma errada pode danificar alguns componentes!

O overclock é, basicamente, um processo no qual a velocidade de componentes específicos de um computador é manualmente aumentada, através de configurações e instruções diretas para o hardware. A melhora de desempenho que é atingida após o processo pode variar, mas algumas pessoas conseguem fazer componentes antigos funcionarem como os últimos lançamentos.

Os computadores funcionam de forma a transformar energia em informação. Os componentes são feitos para operarem em uma certa taxa de conversão. Uma quantidade de energia é igual a uma quantidade de clock no processador.

Quando você não está satisfeito com essa relação e quer que o processador, por exemplo, atinja maior velocidade, basta alimenta-lo com uma quantidade maior de energia, e com mais energia disponível, ele atinge Clocks mais altos. Daí o termo OverClock.

O foco dos overclocks estão no processador, na memória, no chipset da placa-mãe e na placa de vídeo.

Aumentar a energia dos componentes aumenta o calor que eles dissipam, o que exige, muitas vezes, sistemas de refrigeração muito avançados, como os líquidos. Recordistas mundiais de overclock chegam a usar nitrogênio líquido para impedir que o computador entre em combustão.

O overclock é capaz de garantir um maior desempenho do hardware, até os processadores mais simples tem algum nível de overclock imbutido, os processadores da Intel, por exemplo, sempre apresentam o TurboBoost, que é um tipo de aceleração do clock da CPU, que começa a funcionar quando percebe uma alta demanda pelo sistema. A AMD oferece uma solução parecida, chamada de TurboCore.

Como funciona?

Para se romper os valores dos componentes, é necessário dar instruções diretas ao hardware. Isso pode ser feito através de softwares específicos, muitas vezes fornecidos pelos fabricantes, e por outros recursos, como comandos realizados na interface da BIOS do computador, em caso de placas que suportem o overclock.

Porém, para mexer com esses limites requer um profundo conhecimento do funcionamento de cada componente. Teoricamente, você pode fazer um Core i7 operar a 6 GHz, mas isso não quer dizer que a operação vá garantir um funcionamento estável. Para garantir bom funcionamento do componente, você precisa ter controle da temperatura e sensibilidade para ajustar o overclock ao menor sinal de travamentos e tela-azul.

Vantagens

Pessoas com mais conhecimentos técnicos, que está ciente dos riscos e das necessidades envolvidas no processo do overclock, pode fazer um computador antigo ter desempenho de máquinas mais atuais. Em sistemas recentes, um bom e balanceado overclock pode trazer ganhos de 30% no desempenho geral da máquina em games pesados.

Riscos

Existem muitos riscos com este processo. O que um overclock faz é empurrar o componente para um regime de funcionamento que rompe com o design do fabricante que, normalmente, investiu milhões e milhões de dólares em um projeto que determinou a melhor taxa de operação para a peça.

Fazendo overclock, o usuário está testando os limites físicos de componentes eletrônicos sensíveis. O uso prolongado de overclock reduz a vida útil do seu sistema e desatenção no processo pode derreter circuitos, tornando-os inúteis. Vale lembrar que a garantia dada pela maioria dos fabricantes não cobre danos causados por overclock.

Ainda precisa de ajuda? Fale com a empresa VCPTec

Comente usando sua conta do facebook
Para se fazer um Overclock, é necessário saber que existem vantagens e desvantagens.
Rolar para o topo